Tendinite: mecanismos e benefícios do exercício

O índice de tendinite está cada vez maior, com a tecnologia ocupando cada vez mais  espaço e o trabalho cada vez mais corrido as pessoas passam muito mais tempo realizando movimentos repetitivos, o que cronicamente pode ocasionar na inflamação no tendão. Mais o cenário não muda para quem vive no mundo do esporte, quando há uma falta de planejamento no treinamento,  o praticante também pode passar por essas condições desfavoráveis.

Tendinite: Fisiologia da doença

Uma das funções do tendão é ligar o músculo ao osso, permitindo a transferência da força produzida pelo músculo ao osso, fazendo com que ocorra o movimento desejado sobre determinada articulação. Comumente esta patologia ocorre mais em algumas áreas específicas como o ombro, cotovelo, joelho, punho e calcanhar, porém não se limita somente a essas regiões do corpo.

As fibras dos tendões são interligadas por pontes de hidroxilas, e quando se realiza algum tipo de esforço repetitivo ocorrem pequenas microrupturas nessas estruturas dos tendões,  rupturas essas que necessitam de recuperação para retornarem ao estado normal, e quando isto não ocorre e novamente é realizado esforços repetitivos essas rupturas se agravaram, ocorrendo um acúmulo de células de defesa nessa região, ou seja, uma inflamação tendínea, sendo a porta de entrada para um quadro de tendinite (nesta fase ocorrem as dores nas regiões afetadas ao se realizar determinados movimentos), caso essa inflamação seja sustentada, como forma de defesa o organismo preenche esses espaços (rupturas) com cálcio, dificultando ainda mais para que retornem ao seu estado normal, tornando o tendão mais rígido para que possa sustentar a força pelo qual é submetido, ocorrendo ao que chamamos de tendinose.

E independentemente da atuação da pessoa (atleta, empregado, corredor), se não for tratada ela pode fazer com que a pessoa possa ter que ficar um tempo afastada de seus afazeres. Mais como evitar ou tratar essa patologia?

Benefícios do exercício

Há evidências  de que os exercícios físicos geram resultados positivos para essa patologia,  dentre eles os exercícios excêntricos, isométricos e alongamentos (estáticos e passivo) podem contribuir para melhorar a amplitude de movimento, diminuir a rigidez músculo tendínea, podendo assim diminuir as chances de adquirir essa patologia e caso já possua, amenizar as dores da tendinite. Já no caso de atletas, como há uma estrutura mais tecnológica, o tratamento pode ser mais rápido e com isso diminuindo o tempo do mesmo fora das competições, até por que há uma equipe especializada no assunto.

Caso não tenha previna-se,  caso tenha, primeiro passe em um profissional especializado, para saber a gravidade e se terá necessidade do uso de farmacológicos para amenizar a dor, inchaço, ou dependendo do caso necessidade cirúrgica. Caso o tratamento seja a base de precursores não farmacológicos, tais exercícios citados acima irão ajudar a evitar e a tratar, além de fortalecer a musculatura envolvida em torno da articulação, todo esse aparato recuperativo conjuntamente com treinamento de força, irá contribuir para amenizar os sintomas da tendinite.

Possui alguma dúvida ou sabe de mais estratégias para amenizar os sintomas da tendinite? Deixe nos comentários abaixo.

Avalie este artigo!
[Total: 1 Average: 5]
X
Novo Cadastro