Hiperlordose: causas e intervenção do exercício

Os sintomas de dores na coluna (principalmente hiperlordose) está cada vez maior na população mundial, e se você quer saber como tratar ou evitar, então você deve ler este artigo.

Cerca de 80% dos adultos tem ou irão ter algum indício de dor no futuro, esta patologia está associada a dor e desconforto na região lombar, geralmente ocorre em pessoas que trabalham em serviços onde estão submetidas a levantarem muito peso repetitivamente e de maneira errônea, facilitando a aquisição desta patologia.

Segundo uma pesquisa epidemiológica, feita pela organização mundial da saúde (OMS), problemas na coluna estava em 6º lugar em 2010, passando para 3º, apenas abaixo de isquemia do coração e doença pulmonar obstrutiva crônica.

Geralmente as dores duram dias ou poucas semanas, nesta fase aguda há alterações em alguns componentes da parte inferior da coluna ocasionando as dores, e geralmente não ocorre uma perda da capacidade funcional da pessoa.

Agora, quando os sintomas são prolongados, passando por mais de quadro (doze semanas ou mais), o problema se torna crônico, normalmente 20% das pessoas que possuem dor lombar aguda acabam desenvolvendo uma dor lombar crônica, no que pode persistir por mais de 1 ano ou mais.

Em alguns casos, com o tratamento médico as dores podem diminuir, já em outros casos, mesmo com tratamento médico e cirúrgico algumas pessoas ainda podem ter sinas de dores.

As áreas estruturais anatômicas que mais sofrem alterações, são da L1 a S1 da região lombar, além de ser uma região onde suporta a maior parte do peso da região superior do corpo, a dor pode estar relacionada com problemas estruturais, como espondilose (degeneração discal, produção de osteófito,“bico de papagaio”), degeneração intervertebral, hérnias de disco, radiculopatia, trauma local, estenose espinhal, desvios posturais (escoliose, hiperlordose), infecções, síndrome da cauda equina, pedras renais, osteoporose, endometriose e fibromialgia.

Outros fatores de risco são também a obesidade, fumo, idade (entre 30­ e 50 anos, ocorrendo com facilidade conforme o avanço da idade), nível de condicionamento físico, gravidez, ganho de peso, genéticos, trabalho, aspectos mentais (depressão, ansiedade, stress).

A causa da dor lombar pode ser diagnosticada por um médico e posteriormente tratadas com ou sem intervenção cirúrgica, caso não haja necessidade cirúrgica, o condicionamento físico, fisioterapia, reeducação postural global (RPG) e pilates, são estratégias utilizadas para ajudar melhorar o quadro, farmacológicos são receitados para diminuição de dor.

Um dos problemas lombares que afetam bastante a saúde e qualidade de vida da população é a hiperlordose lombar.

A coluna possui curvaturas fisiológicas (cifose e lordose), quando há uma alteração nestas estruturas ou uma acentuação anterior excessiva (anteversão pélvica) na curvatura lombar da coluna vertebral, pode ocorrer alterações nas funções biomecânicas da coluna como:

  • Absorção e distribuição de stress
  • Balanço
  • Flexibilidade
  • Estabilidade e atividade sensorial.

Hiperlordose e Treino de força

A anteversão pélvica cria modificações sobre as curvaturas normais da coluna lombar levando a hiperlordose, esta anteversão pélvica geralmente está associada a um desequilíbrio muscular, na qual o glúteo, abdome e isquiotibiais estão enfraquecidos e mais alongados, já os músculos extensores da coluna, quadríceps e íliopsoas estão fortalecidos e encurtados.

No treino de força ao se realizar um trabalho de alongamento sobre os músculos encurtados e fortalecimento dos músculos enfraquecidos faz com que a anteversão pélvica diminua gradativamente, diminuindo também o grau da curvatura lombar, voltando assim ao estado normal e funcional desta área da coluna lombar.

Toda esta modificação da região pélvica poderá ajudar a diminuir a dor, atividade dos receptores de dor, percepção de dor e podendo haver liberação de beta­endorfinas, opioides que aumentam a analgesia.

Para obter sucesso no tratamento tenha uma equipe especializada de médicos, educadores físicos e fisioterapeutas, são eles que ajudarão você a melhorar a sua postura, mas para se prevenir tenha os seguintes cuidados:

  • Cuidado ao levantar muito peso repetitivamente de forma errada, isto pode criar algumas destas patologias citadas a cima.
  • Mantenha o balanço entre as musculaturas citadas neste post, pois ajudam a diminuir o aparecimento deste fenômeno, cabe ao profissional de educação física saber quais exercícios trabalham essas musculaturas.
  • O modo de se deitar, tipo de colchão, cadeira ou até mesmo deitar em sofás podem causar dores sobre a sua coluna.

Se não possui esta patologia previna-se, caso tenha CUIDE-SE.

Possui alguma dúvida ou sugestão sobre hiperlordose e intervenção do exercício? Deixe nos comentários abaixo.

Avalie este artigo!
Novo Cadastro