Álcool afeta o crescimento muscular e perda de peso?

Muitas pessoas condenam a bebida alcoólica, ainda mais para os que praticam alguma atividade física e procuram um corpo bonito e saudável, mais será que o consumo de álcool afeta negativamente a força, recuperação muscular, perda de peso e níveis hormonais como muitas pessoas pensam? Leia esse artigo e descubra a resposta.

Álcool e sua relação com a saúde e o fitness é um assunto complicado, mais será que para quem treina e busca saúde o álcool faz mal?

Em pequenas quantidades, uma bebida ou duas por dia, tem potenciais benefícios para a saúde, como melhorar a sensibilidade a insulina, a função cardíaca e lipídios no sangue (substâncias gordurosas no sangue que, quando reduzido reduz o risco de doença cardíaca).

Em grandes quantidades, o álcool leva a casa inevitáveis brigas e muitas vezes até agressões. E para surpresa de ninguém, alcoolismo crônico basicamente, apenas acaba com a saúde.

Mas este artigo não é sobre os vários efeitos de beber leve ou grave, em vez disso, ele vai responder a uma pergunta na mente de muitas pessoas: qual a quantidade de álcool que podemos beber antes dele começar a afetar negativamente a nossa perda de peso e crescimento muscular?

Álcool e perda de peso

Semelhante a inquisição carboidratos que está em destaque nestes dias, o álcool é alvo de muitas críticas. De acordo com algumas pessoas, se você bebe, você vai engordar. E aos que treinam, você irá apenas perder todo seu músculo.

Bem, se vamos dar uma rápida olhada em estudo epidemiológico, podemos ver que o consumo moderado de álcool é realmente associado com menor peso corporal, não maior.

Por exemplo, um estudo publicado em 1985 no American Journal of Clinical Nutrition olhou para as dietas de 1.944 adultos com idades entre 18-74. Os investigadores descobriram que um aumento em calorias a partir de etanol (álcool) sozinho, não resultou no aumento de peso que iria normalmente ocorrer se as calorias fossem de proteína, carboidratos ou gordura.

Na verdade, graças a ingestão regular de álcool, bebedores de álcool ingeriram em uma média de 16% a mais de calorias por dia do que os não-bebedores, e tiveram os mesmos níveis de atividade física, mas não havia nenhum mais gordo do que os que ficaram sem álcool.

Outro estudo com mulheres obesas em uma dieta de perda de peso tinha um grupo que obtinha 10% das calorias diárias a partir de vinho branco, e o outro a partir de suco de uva. O resultado foi que depois de 3 meses, o grupo do vinho branco perdeu cerca de 1 kg a mais do que o grupo de suco de uva.

Os mecanismos exatos no trabalho não são totalmente claros, mais um fator provável é que o álcool pode reduzir o apetite por comida, mas também pode estar relacionado a seus efeitos sobre a sensibilidade a insulina.

Agora, embora possa parecer que estamos encorajando você a beber, não estamos. O consumo de álcool na verdade, pode prejudicar seus esforços para emagrecer, mas de forma indireta.

Embora o álcool em si basicamente não pode ser armazenado como gordura corporal, ele bloqueia a  oxidação de gordura que por sua vez, acelera a taxa na qual o organismo armazena a gordura da dieta como gordura corporal.

Resumindo, não é as calorias do álcool que podem fazer você engordar, mas toda a porcaria que você come com ele, o que é difícil de resistir quando você está bêbado.

Então, se você quer ser capaz de beber ao fazer dieta e ainda perder peso, não beba mais do que um dia por semana, e use as seguintes dicas para se proteger do armazenamento de gordura em excesso:

  • Restringir sua ingestão de gordura naquele dia, e não comer todos os alimentos gordurosos, enquanto você está bebendo.
  • Obter a grande maioria das suas calorias de proteína e carboidratos naquele dia (com a maioria vinda de proteínas).
  • Fique longe de bebidas que levem a mordiscar comidas, como cerveja por exemplo. Os vinhos secos são uma boa escolha.

Ao seguir estes conselhos, você pode desfrutar de algumas bebidas a cada semana sem sentir-se culpado, e sem arruinar a sua dieta para emagrecimento.

Álcool e os níveis de testosterona

O álcool faz suprimir os níveis de testosterona, mas a magnitude deste efeito varia. Por exemplo, um estudo realizado pelo TNO Nutrition and Food Research Institute onde 10 homens que bebiam entre 30-40 gramas de álcool por dia (2-3 colheres de cervejas ou de licor, ou 10-15 colheres de vinho). Após 3 semanas, seus níveis de testosterona caíram cerca de 7% (muito insignificante).

Outro estudo teve 9 homens que bebiam entre 60-70 gramas de álcool depois de trabalhar fora, e eles não tiveram efeitos sobre os níveis de testosterona durante as seguintes 5 horas.

Agora, o que acontece quando aumentamos a dose pós-treino?

A Universidade de Helsínquia realizaram um estudo semelhante, onde administraram cerca de 1,5 g de etanol por kg de peso corporal em 8 homens saudáveis com idades entre 20-26, e descobriram que seus níveis de testosterona caíram em média 23%, entre 10 e 16 horas depois que eles começaram a beber. Além disso, os níveis de cortisol foram elevados em média em 36%, e a secreção de hormônio do crescimento foi fortemente suprimido.

Outro estudo conduzido pela mesma universidade concordou, consumo excessivo de álcool no pós-treino é ruim para a produção de testosterona, provando que 10 cervejas é uma má refeição pós-treino.

Assim, considerando todas as coisas, se você beber um poupo aqui e ali, você provavelmente não tem nada para se preocupar em termos de níveis de testosterona. Mas beber até “entortar” não é uma boa ideia.

Álcool e recuperação muscular e desempenho

Em rato e estudos in vitro, o álcool diminui a síntese de proteínas. Algumas pessoas aplicam diretamente esse tipo de investigação para seres vivos que respiram e dizem que o álcool impede a construção muscular e acelera a perda de massa muscular.

Bem, não é assim que funciona. Os ratos e os seres humanos têm grandes diferenças metabólicas e resultados de estudos in vitro nem sempre são achados  in vivo.

Nos seres humanos vivos, efeitos de perda muscular pelo álcool só foram vistos em alcoólatras crônicos. Se você bebe 7 ou mais drinques por dia, você vai ter problemas para a construção muscular, andar e lembrar seu nome.

É também comumente é alegado que o consumo de álcool prejudica a força e interfere com a capacidade do corpo em reparar danos musculares.

De acordo com estudos realizados pela Universidade de Massachusetts e da Universidade de Aarhus, o álcool não tem efeito sobre a força ou indicadores de lesão muscular induzida pelo exercício.

Por outro lado, um estudo realizado pela Universidade de Massey mostrou que 1 g de etanol por kg de peso corporal após o exercício amplia a lesão muscular pós-treino. Deve-se notar porém, que o regime de treino utilizado foi um pouco ridículo (300 contrações excêntricas em uma máquina para treinar as pernas), por isso não podemos ter certeza de que suas conclusões se aplicam aos treinos tradicionais, de menor volume exercícios de levantamento de peso.

Afinal, beber ou não beber?

Defensores do álcool gostariam de falar que são uma espécie de superalimento, mas o pensamento final é que não é necessário de forma alguma para uma boa saúde, e não lhe dará nenhum benefício de desempenho.

Se você não bebe, realmente não vemos qualquer razão para para começar. Se você bebe regularmente, você tem uma muito mais para se preocupar com o álcool do que interferir com o ganho muscular.

Mas se você beber com pouca frequência e moderadamente o suficiente para não notar qualquer efeito negativo (sem ressacas), então você provavelmente não tem nenhuma boa razão para desistir completamente.

Qual é a sua opinião sobre beber e ficar apto? Você bebe constantemente ou moderadamente? Deixe nos comentários abaixo!

Avalie este artigo!
[Total: 1 Average: 5]
X
Novo Cadastro